Logon

Saiba como enfrentar situações de violência durante o isolamento social

Direitos
07/05/2020

​A Organização das Nações Unidas publicou em 17/03/2020, 14 recomendações a serem adotadas pelos Estados, para que mulheres sejam incluídas como grupo prioritário nas respostas à pandemia do COVID-19.

Entre as recomendações, a ONU Mulheres traz questões importantes frente à pandemia, por exemplo, de que o isolamento social aumenta os riscos de violência contra as mulheres e meninas, em especial, a violência doméstica. O impacto econômico da pandemia pode criar barreiras adicionais para deixar um parceiro violento, além de mais risco à exploração sexual com fins comerciais. Aponta ainda que as mulheres enfrentam obstáculos ainda maiores para se proteger de situações violentas, pois diante das restrições de mobilidade, fica difícil o acesso a redes de proteção e, soma-se a isto, a constante presença do agressor em tempos de quarentena.

Levantamento do Ministério Público do Estado de São Paulo mostra aumentos de quase 30% nas medidas protetivas emergenciais e 51% nas prisões em flagrante por violência contra a mulher. Em São Paulo, dobrou-se o número de feminicídios neste período de quarentena pública.

Diante desses dados é evidente que pessoas com deficiência sofrem ainda mais o impacto deste contexto de violência intrafamiliar.

Nesse sentido, a 1ª Delegacia de Polícia da Pessoa com Deficiência (1ªDPPD), por meio do Centro de Apoio Técnico do Instituto Jô Clemente, reforça os canais de denúncia para mulheres com deficiência:

· Disque 100 (Disque Direitos Humanos) - Serviço telefônico de recebimento, encaminhamento e monitoramento de denúncias de violação de direitos humanos.

· Disque 180 – Serviço telefônico de recebimento de denúncias de violência que visa orientar as mulheres sobre seus direitos e sobre a legislação vigente, encaminhando as vítimas para outros serviços quando necessário.

· Delegacia Eletrônica – Acessar através do site www.delegaciaeletronica.policiacivil.sp.gov.br utilizando qualquer dispositivo conectado à internet, selecionar o campo outras ocorrências e preencher conforme o formulário.

· 1ª Delegacia de Polícia da Pessoa com Deficiência – Durante o período da pandemia, a 1ªDDPD estará atendendo, presencialmente, pessoas com deficiência, vítimas de homicídio, sequestro, estupro e violência doméstica.

Endereço: Rua Brigadeiro Tobias, 527, Luz – São Paulo/SP.

Telefone: (11) 3311-3380

*Para mulheres com deficiência auditiva, entrar em contato através da Central de Intermediação de Libras (CIL).​

Onde estamos

Rua Loefgren, 2109

Vila Clementino

São Paulo, SP - Brasil

CEP 04040-033

Feito com pela Mult-Connect
Logo IJC Branco Horizontal

Onde estamos

Rua Loefgren, 2109

Vila Clementino

São Paulo, SP - Brasil

CEP 04040-033

Feito com pela Mult-Connect